segunda-feira, dezembro 11, 2006

Metamorfose

Um pequeno lagarto que vive em ilhotas caribenhas poderia demonstrar a evolução em ação, se os furacões parassem de varrer esses locais. Pesquisadores da Universidade de Harvard já tentaram observar três vezes a seleção natural em ação, até que surgem os furacões, inundam as ilhotas e acabam com a população estudada. Da última vez, foi o furacão Frances, em 2004. Entretanto, mesmo resultados preliminares da última rodada (de apenas um ano) já revelaram algumas provas surpreendentes de que a seleção natural age de forma rápida e pode até mesmo provocar reviravoltas.


A equipe estudou o Anolis sagrei - um lagarto pequeno e comum que possui uma dilatação característica na garganta, reproduz-se rapidamente e tende a viver no chão na ausência de predadores. Os cientistas descobriram 12 ilhas com populações naturais desses répteis, que ocorrem em versões com pernas curtas e compridas. Eles deixaram seis ilhas intocadas, apenas marcando os lagartos para a experiência. Nas outras seis ilhas, eles introduziram um predador comum -- Leiocephalus carinatus, um lagarto de cauda enrolada - para testar a hipótese de que no curto prazo essa mudança favoreceria o A. sagrei de membros longos (o que foge correndo melhor), mas no longo prazo favoreceria os A. sagrei de membros curtos (o que escala melhor) à medida que saem do solo e sobem nos arbustos para se proteger.

Em maio de 2004, as 12 ilhas originais foram reduzidas a apenas cinco - três de controle e duas experimentais; nas outras, ou todos os lagartos sobreviveram ou todos morreram. No entanto, as medições dos membros dos machos nas duas ilhas experimentais remanescentes (as fêmeas não puderam ser incluídas em razão da propensão de pôr um ovo por semana, inchando o abdômen e atrapalhando as medições das patas) mostraram que durante os seis primeiros meses do ano o A. sagrei de patas mais longas sobreviveu à introdução do predador. O segundo período de seis meses, porém, revelou que seus pares com membros menores se tornaram predominantes.

Infelizmente, o grupo não conseguiu verificar se a redução da perna continuaria: o furacão Frances varreu essa possibilidade.

Um comentário:

Renata disse...

Gostei muito desse post. Pena que o furacão acabou com o Big Brother dos lagartinhos. Beijinhos.