terça-feira, outubro 24, 2006

Vida no planeta vermelho

A análise de sedimentos de um rio cujo leito mostra similaridades com a composição de Marte aponta que a missão Viking da Nasa, de 1976, pode não ter percebido a presença de indícios de vida naquele planeta ao não completar totalmente a análise do material. Os instrumentos das duas sondas Viking que exploraram o planeta vermelho não detectaram a existência de baixos níveis de matéria orgânica na superfície, o que poderia indicar a existência de vida. Estes mesmos instrumentos serão usados nas próximas missões.

O cientista mexicano Rafael Navarro-González, principal autor do estudo, disse que as novas conclusões deveriam servir para revisar os resultados da missão anterior da Nasa e incorporar outros métodos para a busca de vida em futuras explorações em Marte.

As amostras ricas em jarosita (mineral composto de ferro) extraídas das águas do rio Tinto, que corre pela província de Huelva, sul da Espanha, e que possuem semelhança com as condições de Marte, foram determinantes nos primeiros resultados da pesquisa, afirmou o cientista. O rio Tinto possui águas, por efeito dos metais, vermelhas, densas, com grande escassez de oxigênio. Por isso, tradicionalmente pensava-se que não era possível existir vida. As últimas análises demonstraram, no entanto, que as águas do rio têm grande biodiversidade, organismos microscópicos vivem entre metais pesados.
Navarro-González advertiu que, por sua simplicidade, a técnica de análise que falhou na missão Viking será usada no ano que vem, na missão Phoenix da Nasa, que buscará resquícios de água no planeta vermelho. O cientista explicou que a análise química do solo marciano realizada há 30 anos pelas duas sondas indicou a ausência total de matéria orgânica na superfície. Este dado foi usado como argumento para refutar a existência de vida em Marte.
O instrumental de análises das sondas detectou a presença de dióxido de carbono, mas este havia sido atribuído a uma fonte atmosférica ou inorgânica.

Um comentário:

Renata disse...

Fiquei pensando se a vida em Marte é mais simples do que por aqui. =) Beijinhos.