sexta-feira, outubro 27, 2006

Mapeado o código genético das abelhas

Um grupo de cientistas mapeou o código genético das abelhas, num estudo que pode fornecer pistas sobre o complexo comportamento social, o acurado olfato e as origens africanas desses insetos.

A Apis mellifera evoluiu mais lentamente do que outros insetos, entretanto, possui mais genes relacionados ao olfato. O estudo foi realizado por uma equipe de cientistas liderada pela University of Illinois Bee Research Facility. Os resultados podem abrir uma nova era de pesquisas na área de agricultura, pesquisa biológica e saúde humana. Atualmente, as abelhas são muito usadas para estudar vários campos como neurociência, comportamento social e toxicologia.

Um dos principais focos de estudo é o comportamento social. Uma única rainha é capaz de comandar dezenas de milhares de operárias. Para compreender melhor esse fenômeno, estudos bem mais abrangentes serão necessários. A seqüência do DNA pode ajudar a responder a questão de como a genética explica a formação de colônias complexas de insetos.

O código genético já revelou que as abelhas são originárias da África, e a sua difusão para a Europa se deu em duas ondas de migração.

Um comentário:

Renata disse...

Incrível imaginar que esses bichinhos tão pequeninos migraram para tão longe e conseguem ser organizados. Beijinhos!