sexta-feira, outubro 06, 2006

Fazendo graça com a Ciência

Todos os anos, a revista de humorismo científico (sim, os cientistas também riem) Annals of Improbable Research divulga a lista dos vencedores do prêmio Ig Nobel. A paródia ao famoso prêmio Nobel tem como critério, selecionar pesquisas que fazem "primeiro rir, depois refletir". Os resultados das pesquisas "não podem, ou não devem serem reproduzidos".

Os vencedores de 2006 são:

Ornitologia: Ivan R. Schwab (EUA). Explicou por que pica-paus não sentem dor de cabeça.

Nutrição: Wasmia Al-Houty e Faten Al-Mussalam (Kuwait). Mostraram que besouros "rola-bosta" escolhem as fezes que vão comer.

Literatura: Daniel Oppenheimer (EUA), pelo artigo "Conseqüências do amplo uso da erudição vernacular: problemas com o uso de longas palavras sem necessidade".

Paz: Howard Staleton (País de Gales). Inventou um dispositivo sonoro repelente de adolescentes.

Acústica: Lynn Halpern, Ranolph Blake e James Hillenbrand (EUA). Explicaram por que som de unhas arranhando um quadro-negro irrita.

Matemática: Nic Svenson e Piers Barne (Austrália). Calcularam quantas fotos são necessárias para que ninguém no grupo saia com olhos fechados.

Medicina: Francis M. Fesmire (EUA). Tratou soluços com "massagem digital no reto".

Física: Basile Audoly e Sebastien Neukirch (França). Descobriram por que espaguete seco ao ser dobrado se quebra normalmente em mais de dois pedaços.

Química: Antonio Mulet, José Javier Benedito, José Bon e Carmen Rosselló (Espanha). Estudaram a velocidade ultra-sônica em queijo cheddar.

Biologia: Bart Knols e Ruurd de Jong (Holanda). Mostraram que a fêmea do mosquito da malária é igualmente atraída por cheiro de queijo limburger e por chulé.

2 comentários:

Renata disse...

Que pesquisas mais estranhas. =) Nossa, fiquei horrorizada de saber que existe um tipo de besouros como esses. Agora já sei que não é sem motivo que não gosto desses insetinhos.

Anônimo disse...

Por que nao:)